Vida de startup: lá se foram 2 meses

Estou devendo um post aqui no blog para falar que muitas coisas aconteceram nos últimos meses.

Há praticamente um ano, escrevi um post falando que estava deixando a AgênciaClick para assumir uma posição em uma multinacional. Pois bem, isso não durou muito, e acabei largando para tocar uma startup.

Já faz tempo que venho ensaiando alguns vôos,e para ser sincero, estava um pouco cansado da vida corporativa. Acho que as empresas aqui no Brasil precisam mudar muito para conseguir atrair bons profissionais e fazê-los ficar por um bom tempo.

Depois de muita batalha, conseguimos investimento para o nosso projeto, e assim, fazer algo de concreto acontecer rapidamente.

Comecei a me dedicar integralmente no negócio no começo de junho, e desde então, minha vida virou de cabeça para baixo – a maioria delas em um sentido positivo. Aqui vai:

1) Decidi usar somente transporte público para me deslocar ao escritório – vou e volto de trem todos os dias. O trânsito da vila olímpia é um inferno, os estacionamentos um absurdo, e a falta de exercícios físicos me fizeram pensar em uma maneira de usar um pouco melhor meu tempo.

Vou andando de casa para a estação, da estação para o trabalho e todo o caminho de volta, o que me garantem, pelo menos, 45 minutos de caminhada.

Além disso, economizo entre combustível e estacionamento aproximadamente R$ 800, e diminuo meu carbon foot print.

2) No começo de uma startup, é impressionante o foco que você dá a alguns determinados assuntos, e isso faz toda a diferença. Além de trabalhar nos horários que acho mais conveniente, posso determinar o que fazer primeiro, com quem conversar, o que não fazer, etc.

No fundo, há uma grande mistura de atividades, o que torna o negócio divertido. Eu, por exemplo, nunca havia implantado um ERP do zero e estou tendo que fazer isso.

3) Em  um ambiente menos regrado, você tem mais tempo para pensar. Como temos um orçamento apertado, a criatividade rola solta e conseguimos gerar soluções bem interessantes. Um exemplo é servidor: temos uma máquina boa, mas não suficiente para rodar “N” serviços que precisamos.

Foi aí que senti a necessidade de aprender a configurar um servidor virtualizado – testei XEN e VMware ESXi.

Outra coisa é especificação, metodologias, etc, etc. Quantas vezes você precisou escrever caso de uso, diagrama de classes, sequência, reuniões, horas perdidas, para no fim, não usar nada ?

Aqui fazemos o mínimo necessário: descrição de um cenário, regras, e código!

4) Tenho trabalhado muito, mas mesmo assim, continuo feliz. A regra é simples: ninguém me obriga a nada, não tem chefe, metas absurdas, apenas uma vontade imensa de fazer algo acontecer e que me faz ficar entusiasmado cada vez mais.

5) Os contatos se multiplicam a cada dia que passa. Uma nova cadeia de pessoas começa a faz parte do dia-dia – empreendedores que possuem um objetivo em comum: fazer com que os seus negócios aconteçam.

Além da troca de experiências, a cooperação também é um ponto legal.

6) O ponto chave: aprendizado. Cada dia uma coisa nova, um leão para matar, um cenário para definir. No mundo corporativo você vai levando as coisas como uma marola – alguém já definiu algo por você, que você precisa cumprir.

Numa startup não: você é o goleiro, lateral direito, atacante, e o técnico e precisa se virar. E isso é o que faz a brincadeira divertida.

7) Salário talvez não seja um aspecto tão positivo. Tivemos sorte de conseguirmos investidores, porém, o grau de incerteza deixa um pouco desconfortável. Mas quem está na chuva, é para se molhar!

Para concluir, acho que fiz a melhor coisa, no momento certo. Agora entendo porque tanta gente valoriza empreendedores e mercados de startup nos EUA. Mesmo se falhar, você estará acumulando experiências únicas.

E você, o que está fazendo aí ? Corra, monte sua startup também!

Bookmarksbookmark bookmark bookmark bookmark bookmark bookmark

Popularity: 4%

4 Comments so far

  1. Jonas on August 12th, 2011

    Boa sorte Robson, vc é o cara, admiro seu trabalho, sou seu fan =D.

  2. bruno on August 31st, 2011

    1. Tivemos sorte de conseguirmos investidores,

    2. E você, o que está fazendo aí ? Corra, monte sua startup também!

    Tá mas dá uma dica como você consegui os investidores?

  3. Emerson on September 12th, 2011

    Ué, eu perdi esse post! Boa sorte aí! Não vai contar qual é a do empreendimento? :-)

  4. Felipe on April 13th, 2012

    opa, tudo bom? Falando em startups, bom, o receio é as vezes largar o que tem de “segurança” para começar algo incerto, e é isso que me segura um pouco. Mas sempre tive vontade de trabalhar mais na área de automação residencial, começar a fuçar um pouco mais, principalmente coisas mais simples como usar arduino (para baratear os preços). Bom, qualquer coisa manda um email para conversarmos.

Vale Presente